contato@in-delta.com.br
SP +55 11 3382-1522 / RJ +55 21 4560-302

Líderes de mercado são líderes em curvas de experiência

by InDelta

Líderes de mercado são líderes em curvas de experiência

Por que alguns CEOs frequentemente alegam (e realmente parecem acreditar) que seus concorrentes estão conspirando ou praticando dumping? E você? Sente que seus principais concorrentes podem estar ampliando a distância entre suas empresas e a sua, neste exato momento, conquistando mais espaço no mercado praticando preços mais baixos? Estariam sacrificando suas margens?

A resposta a essa inquietação pode estar por trás de uma lei fundamental de negócios que já é conhecida há algum tempo, mas cujas implicações tem sido ignoradas. Trata-se da curva de experiência. Saber o que é a curva de experiência e como usá-la pode, muitas vezes, fazer a diferença entre levar uma empresa ao sucesso ou a um atoleiro.

A referência imediata à curva de experiência é a curva de aprendizagem, uma ideia que tem aplicações práticas a todos nós. Quando aplicada aos negócios, é o fenômeno que faz os gerentes, desde início da revolução industrial, notarem que os funcionários

aprendem a fazer seu trabalho mais rapidamente e de forma mais eficiente com o tempo. Conforme os estudos sobre a curva de aprendizagem avançaram sobre seu impacto nos custos, descobriu-se que, quando a produção acumulada de um produto dobra, o custo da sua produção cai a uma taxa constante e previsível, normalmente em torno de 10% a 30% . Logo o fenômeno recebeu um nome: a curva de experiência.

Gerentes de compras encontram matérias-primas e peças melhores e mais baratas.

Vendedores aprimoram técnicas para vender de maneira mais eficaz. Contadores, profissionais de marketing e até executivos seniores – todos tem suas próprias curvas de aprendizado. Todos certamente aprendem a trabalhar de maneira mais eficiente, e o custo de seus serviços por unidade produzida diminui.

Você pode questionar esta conclusão, pensando que em algum momento você alcançará limitações e o progresso então irá parar. Mas certamente, em algum ponto, descobrirá como projetar produtos de uma maneira diferente, substituir materiais ou procedimentos de baixo custo, organizar a distribuição de maneira mais eficiente, automatizar processos. O advento da inteligência artificial e da robótica mais acessível estão aí para nos provar isso. Essas inovações não tem limitações. Inovações podem continuar indefinidamente.

E muitos outros fatores também contribuem para a redução contínua dos custos. As empresas crescem e, assim, desfrutam de economias de escala; encurtam o tempo de aprendizagem contratando profissionais em celeiros de formação em seus segmentos.

Note que a curva de experiência não depende de pessoas ou máquinas trabalhando mais. Há um limite, afinal, sobre o quanto as pessoas podem trabalhar, então as reduções de custos derivadas do suor dos trabalhadores logo se esgotam. A curva de experiência depende de pessoas que trabalham de maneira mais inteligente – aprendendo novas técnicas, usando novas tecnologias e assim por diante. Essa pode ser a vantagem da qual seu concorrente pode estar desfrutando. Os líderes de mercado são os líderes na gestão de curvas de experiência.

Publicado em novembro 7, 2018 por Luciano M Figueira – Business Partner In-Delta.